Atração Conversão Editorial Posicionamento Relacionamento Vendas

OKRs: desmistificando o método de crescimento do Google

A área de gestão muitas vezes não recebe tanta atenção em grandes e pequenas empresas, mas ela é a chave para o sucesso de uma organização: com pessoas motivadas, os resultados são melhores.  A Resultados Digitais, referência em marketing digital na América Latina, percebeu a necessidade de implementar um método ágil de gestão quando viu seu número de colaboradores crescer de 370 para 600 em menos de um ano.  A forma escolhida foi a mesma utilizada por enormes da tecnologia, os OKRs (Objectives and Key Results).

A metodologia foi adotada pela Google em 1999 e nem precisamos dizer o quanto foi efetiva ao contribuir para o crescimento da instituição. Além da empresa de buscas, o LinkedIn e o Twitter também usam o método que delimita objetivos e resultados-chave como forma de alinhar expectativas, avaliar o desempenho da organização e mapear o que está dando certo ou não.

Durante sua palestra no RDSummit 2017, Gabriel Costa, Chief of Staff da RD, desmistificou  a metodologia para uma sala lotada de interessados pelo assunto. De acordo com ele, os OKRs são muito eficientes se usados da forma correta.

Durante a conversa, Gabriel elencou quatro desafios para quem quer implementar a metodologia. Mas antes de citar quais são eles, vamos entender como o sistema  funciona. Baseado na ideologia lean – que prevê a entrega de valor de forma rápida e constante , o método serve para empresas de todos os portes. As metas são delimitadas a curto e longo prazo e cada uma delas é acompanhada por atividades para todos da equipe. À medida que as atividades são cumpridas é possível perceber o quanto estão impactando e gerando resultados. Além disso, facilita a percepção do status da meta: se ela será alcançada ou não. No primeiro caso, se torna fácil mapear quais ações colaboraram para o êxito. Já no segundo, a metodologia ajuda na percepção de que os objetivos não serão cumpridos com antecedência, assim é possível rever ações para chegar no resultado proposto.

Para colocar o método de gestão em prática, Gabriel alerta para quatro cuidados:

1 – Não é tão simples quanto parece:

Apesar de ser baseado na delimitação de metas fáceis, o processo de implementação pode ser complicado. Hoje já existem softwares que auxiliam no acompanhamento e gestão da metodologia, mas muitas empresas utilizam tabelas para gerir os objetivos. Algumas vezes, os resultados podem não ficar muito claros e assim prejudicar o progresso do método dentro da empresa. É preciso ter paciência e tempo para analisar a evolução das metas.

2 – Cuidado com a ambiguidade:

As metas precisam ser claras para todo mundo. Caso uma frase gere duplo entendimento, o risco de se chegar a resultados diferentes do que o esperado é grande. Por isso, é aconselhável que se consulte mais de uma pessoa antes de passar o objetivo para a empresa inteira. Cautela e validação nunca são demais.

3- Você não vai conseguir sozinho(a):

Justamente por ser vendido como um método simples de gestão, muitas empresas acreditam que a máquina vai rodar sozinha. Mas é importante observar quem já utiliza OKRs e se inspirar em instituições que chegaram onde você quer chegar. No mercado já existem consultores especializados na metodologia que podem fazer um estudo e indicar como ela vai funcionar melhor dentro de cada empresa.

4 – Não tem como usar o método da mesma forma na empresa inteira:

OKRs são altamente personalizados, nunca serão usados iguais em duas empresas diferentes. O mesmo acontece em setores. Os objetivos delimitados para equipe de vendas, por exemplo, não podem ser os mesmos do que os para a área de produtos. Para ter um melhor resultado, o acompanhamento e as metas precisam ser personalizados.

Gestão Ágil e os OKRs

Um dos principais pilares de OKR é a aceleração do processo de gestão. A base do método é delimitar resultados-chave simples e objetivos desafiadores. Sendo assim, o ciclo de trabalho para alcançar uma meta é curto, o que possibilita identificar com agilidade quais indicadores estão funcionando e quais precisam de maior atenção.

Agilidade, neste caso, é sinônimo de mudança. As empresas que não têm medo de mudar de meta no meio do caminho conseguem melhores resultados em menor tempo. Quem é resistente à mudança demora mais para colher os frutos da metodologia.

Gabriel defende que para obter sucesso na implementação de OKRs é preciso que as empresas invistam em times focados nisso. A equipe poderá olhar para a instituição como um todo e ao mesmo tempo perceber a necessidade de cada setor, cada colaborador. Uma forma de estar perto e educar os trabalhadores é oferecer materiais de orientação e estar disponível para responder dúvidas.

Por fim, Gabriel exalta a importância de implementar OKRs como parte da rotina dos colaboradores. Não adianta ter um sistema de gestão se os funcionários não alimentarem e perseguirem as metas. Além disso, as pessoas precisam se sentir parte de algo maior. Com os OKRs, além de melhorar a motivação e entregas, a empresa ajuda os colaboradores a encontrarem um propósito em suas funções diárias.

Dica: leia também o artigo Gestão de indicadores de marketing: aprenda a fazer e potencialize os resultados.

Gabriela Pederneiras
Formada em jornalismo pela UFSC e fascinada por contar histórias por meio de câmeras, canetas e teclados. Trabalha com assessoria de imprensa na Dialetto.
Você também pode gostar
4 sinais que você não está aproveitando o seu investimento em inbound marketing
Gestão de indicadores de marketing: aprenda a fazer e potencialize os resultados

Deixe um comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página web

Assine as publicações do blog

Cadastre-se e receba novidades sobre inbound marketing e sales para empresas de tecnologia

Obrigado! Você receberá nossos conteúdos em breve.